segunda-feira, 16 de abril de 2012

Amante Eterno - J. R. Ward

Título Original: Eternal Lover
Autoria: J. R. Ward
Tradução: Jacqueline Valpassos
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 448
ISBN: 978-85-7930-085-4
Irmandade da Adaga Negra.
Guerreiros obstinados dispostos a arriscar a imortalidade para preservar sua raça.

Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra entre os vampiros e seus carrascos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça.
Possuído por uma besta letal, Rhage é o membro mais perigoso da Irmandade da Adaga Negra.
Dentro da Irmandade, Rhage é o vampiro de apetites mais vorazes. É o melhor lutador, o mais rápido a reagir, baseado em seus instintos, e o amante mais voraz, porque em seu interior arde uma feroz maldição lançada pela Virgem Escriba. Possuído por esse lado sombrio, Rhage teme constantemente que o dragão dentro de si seja liberado, convertendo-o num perigo para todos à sua volta.
Marry Luce, uma sobrevivente de muitas adversidades, entra de maneira involuntária no universo dos vampiros, contando apenas com a proteção de Rhage. Concentrada em combater sua própria maldição, potencialmente mortal, Mary não está buscando amor e perdeu sua fé em milagres tempos atrás. Mas quando a intensa atração animal de Rhage se transforma em algo mais emocional, ele sabe que Mary precisa ser sua e de mais ninguém. E enquanto os inimigos fecham o cerco, Mary luta desesperadamente para alcançar a vida eterna com aquele que ama...

Depois de alguns meses, após ter lido Amante Sombrio (o primeiro livro da série), cuja resenha já está aqui no blog, acabei sendo convencida a continuar a ler os livros da irmandade. A verdade é que quase todos os leitores da atualidade (nesse caso o público feminino) já conhecem a tão comentada Irmandade da Adaga Negra, portanto é quase essencial que eu acompanhe e entenda essa tendência tão rentável no mercado editorial. Bom, vamos lá.
A Irmandade da Adaga Negra é uma série vampiresca hot. A cada livro conhecemos um personagem, um dos vampiros guerreiros que lutam para manter a integridade de sua raça. No primeiro livro o leitor conhece o rei dos vampiros, Whath, que se apaixona pela meio humana Beth.
Agora, em Amante Eterno, voltamos as sombras noturnas de Caldwell para conhecer o mais forte e mortal dos membros da Irmandade. É Rhage, conhecido por Hollywood devido a sua aparência estonteantemente bela e por sua fama de conquistador. Ficamos sabendo, porém, que o comportamento explosivo de Hollywood não é em função de seu gênio difícil e sim de uma antiga maldição que foi lançada sobre ele.

"Na clareira havia uma criatura. Quase três metros de altura, semelhante a um dragão, com dentes como os de um tiranossauro rex e afiadas garras dianteiras. A coisa brilhava ao luar, o poderoso corpo e cauda cobertos com escamas que refletiam do verde ao púrpura.
─ Que diabos é aquilo? ─ murmurou Butch, tateando para se certificar de que a porta estivesse mesmo fechada.
─ Rhage. De muito mau humor." - Página 49-50

Até aqui apenas narrei fatos, mas não posso deixar de dizer que tudo isso (como tudo o que se segue) não passa de uma fórmula pronta. Acredito que todos os livros dessa série tem esse mesmo formato, um herói de extrema beleza, ou charme, intenso magnetismo sexual e muita força; marcado por uma cicatriz física ou psicológica (as vezes as duas); que acaba apaixonado e para viver a paixão deve confrontar-se.
Em Amante Eterno o amor que se apresenta a Rhage é Mary Luce. É nesse ponto que o drama se acentua, pois Mary tem uma doença grave, Leucemia. Para Rhage a doença não seria impecílio se não fosse o fato de Mary ser humana e de sua besta interior ter o desejo de possuí-la.

"Deus, não sabia como não havia entendido antes. Talvez só quisesse evitar a verdade.
Estar com Mary era diferente porque... ele não era o único que queria fazer amor com ela. A besta a queria também. A besta queria sair para poder tomá-la." - Página 375

E o livro transcorre normalmente, entre trechos de luta, drama e sexo, até um final que não surpreende, como todo o resto.
Amante Eterno é um livro de enredo fraco e previsível. O que talvez esteja despertando tantas fãs da série é sem dúvida a maneira como J. R. Ward estruturou seus personagens masculinos e, também, femininos. Eles são, com certeza, o sonho da maioria das mulheres. Elas, na maioria das vezes simples, de beleza comum, ou belas de espírito leve, mas a tentativa parece ser sempre aproximá-las da realidade. No final a fantasia gerada na mente das leitoras é um afago ao próprio ego.
Espero não ser massacrada por essa resenha, mesmo porque respeito muito as fãs desses livros, mas já que cheguei até aqui concluo que os livros das série Irmandade da Adaga Negra não passam de "livros de banca" editados para as livrarias.
Minha Avaliação: ♦♦♦♦♦ (regular)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

☺ Obrigada por comentar. ☺
Volte sempre ao Hellen's Stuffs!

Beijos♥
H.C.C.Reis

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...