quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Unhas - Paulo Wainberg

Título: Unhas
Autor: Paulo Wainberg
Editora: Leya
Página: 248
ISBN: 978-85-62936-46-3
"Atormentado pela paixão? Acabe com ela. Cartas para unhas: caixa postal número..."

No Cômodo mal iluminado, Elisa tenta se situar. Sentado diante dela, o homem fala em voz baixa, usando um tom carinhoso, quase paternal. Pelo que sabe, os sequestradores não conversam com suas vítimas. Além disso, ele não falava como um bandido.
Para ele, era uma experiência nova: jamais havia contado a alguém o que fazia. Entretanto, diante dela, Unhas sentia-se impelido a falar, a se gabar. Leitor de romances policiais antigos, foi por meio deles que descobriu que podiam haver outras emoções além das que sua vida cotidiana proporcionava.
Ao longo dos anos, constatara que as pessoas sofrem por compulsão. Raras são as que usam a inteligência. Em nome do sofrimento coletivo. Como uma unha mal cortada, que destrói o prazer que as outras unham proporcionam.
Esta missão diferenciava-se de todas as anteriores. Unhas estava convicto de que faria um favor a Elisa.

Unhas é o pseudônimo de um homem comum, que se cansa da rotina de sua vida e acaba descobrindo uma forma mais interessante de viver, buscando o prazer. Esse homem, que demonstra graves falhas de caráter se é que ele tem caráter, encontra o máximo de prazer na morte. Ele coloca um anuncio no jornal e inicia seu novo modo de vida como "exterminador de paixões proibidas".
Atendendo apenas clientes do sexo masculino por considerar as mulheres capazes de lidar com suas paixões e sendo quase sempre causadoras dos problemas, Unhas passa a executar seus serviços. Ele cobra uma taxa alta, mas o que os clientes não sabem é que ele não faz por dinheiro, mas pelo prazer.
Elisa é um desses trabalhos que Unhas está prestes a concluir. O livro tem início com esta personagem, confusa e temerosa, tentando entender que tipo estranho de sequestrador era aquele. Na verdade Unhas descobre em Elisa uma forma de aumentar o prazer de seu trabalho contando à sua vítima suas motivações e gabando-se de sua sagacidade.

Diante de Elisa, no quarto fechado, ele fala sem parar, aproveitando a sensação de superioridade, o gozo do anticlímax, adiando o momento final, o instante sublime da plenitude do prazer, do exercício do poder absoluto.  
 Paulo Wainberg criou uma história de suspense psicológico incomum e surpreendente. Narra o terror de Elisa e ao mesmo tempo leva o leitor a conhecer Unhas, um homem desequilibrado e cruel. Além disso, ainda intercala no meio dos acontecimentos trechos de uma outra história, na qual Unhas se inspirou para executar seu último trabalho.


Lauren Lee Taylor, de vinte e dois anos, foi encontrada morta com um tiro na cabeça, no interior de um quarto hermeticamente fechado por dentro, a única porta com a chave na fechadura, três trancas de correr fechadas e a janela trancada com duas madeiras pregadas em forma de X. Não havia aberturas no teto, no chão ou nas paredes. Era impossível algém sair daquele quarto.

A natureza humana, bem como a podridão do próprio corpo, é assunto recorrente no livro. As motivações e intenções mais primitivas que levam um indivíduo a cometer os mais diversos e hediondos crimes são trazidos a tona no monólogo de Unhas diante de sua prisioneira Elisa.

O corpo humano. Existe algo mais bonito na natureza? Mais prefeito, mais harmônico, mais estimulante? O seu interior, no entanto, é asqueroso, e uma pequena amostra do que existe embaixo da pele é nauseante. Tão lindo por fora, tão nojento por dentro. E nós, pessoas, ainda queremos ter razão!

O livro para mim foi uma completa surpresa. Esperava um bom livro e descobri mais do que isso, uma leitura peculiar e assombrosa. Unhas é um livro muito bem escrito e inovador. Wainberg desenvolveu uma narrativa intensa, que não segue ordem cronológica e que gera no leitor sensações diversas. O final do livro é surpreendente. É complicado falar sobre isso sem deixar spoilers, mas, o que posso dizer é que o fim acompanha com perfeição os acontecimentos narrados durante todo o livro.
Confesso que algumas partes me chocaram bastante, mas em geral gostei da leitura justamente por fugir dos padrões.
Leitura recomendada!
Minha Avaliação: ♦♦♦♦♦ (Bom)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

A Vida Secreta de Merlim - Heloisa Prieto

Título: A Vida Secreta de Merlim
Autora: Heloisa Prieto
Ilustração: Janaina Tokitaka
Editora: Escrita Fina
ISBN: 978-85-632-02-2
Páginas: 63

Numa narrativa extremamente ágil, revela-se outro lado da história da Távola Redonda: o relacionamento secreto de Merlim e Vivian, a fada do lago, determinando o rumo dos acontecimentos.

Narrada pelo mestre Blaise, o escritor mítico dos livros de alta magia, e entremeada por versos adaptados de antigos poemas celtas de encantamento, desenrola-se aqui a vida de Merlim, por um ângulo nunca antes visto.
Merlim é metade elfo, metade humano. Porém mais que isso, é criança. É certo que uma crinaça pouco comum - criado por lobos e possuidor de dons mágicos e muita sabedoria -, mas, ainda assim, criança. Vive sua infância em companhia de Vivian, a fada do lago. Transmutando-se em inúmeros animais, brincam livre e prazerosamente pela floresta.
O menino e suas profecias logo se tronam conhecidos pelos nobres, e Merlim vê sia vida na floresta interrompida para que, desde muito jovem, se torne conselheiro da realeza.
Crescendo na corte, em meio a conflitos de toda espécie, Merlim no entanto, continua ligado a Vivian. Encontram-se principalmente em sonhos em que vivem o amor que sentem um pelo outro, ainda que não completamente.
Mesmo tornando-se protetor e conselheiro do rei Artur, o maior líder lendário da Europa, jamis perde o elo com a dama do lago e juntos conduzem o destino do monarca e da Inglaterra.


A Vida Secreta de Merlim me foi enviado pela editora parceira Escrita Fina. Demorei um pouco para ler por que estava terminando A Guerra dos Tronos, o primeiro livro da série Cronicas de Gelo e Fogo de George R. R. Martin (em breve postarei a resenha). Logo que terminei, tratei logo de pergar A Vida Secreta de Merlim, e conclui a leitura em cerca de meia hora.
Trata-se de uma reeleitura da lenda do Rei Arthur, o mago Merlim, a Távola Redonda e a Excalibur. A diferença é que o foco é sobre a vida de Merlim, desde a Infância. A trama tem início quando o mestre Blaise, descrito como um escritor mítico e observador de todos os acontecimentos que acercam a vida de Merlim e Arthur começa a narrar àquilo que presenciou.
Ficamos sabendo sobre o nascimento de Merlim, cujos pais, Midhir, um elfo, e a princesa do reino de Dyfed, têm um relacionamento proibido. O fruto desse amor é o meio humano Merlim, um mago poderoso. A sabedoria de Merlim o torna conselheiro do rei Ambrosio
Um dia o rei Uther, um rei egoísta e cheio de vontades, filho de Ambrosio, procura Merlim para lhe pedir Igraine, uma mulher casada. Merlim prevê o nascimento de um homem importante a partir dessa relação, e usando sua magia, torna possível ao rei Uther passar a noite com Igraine. Sua única condição é que o bastardo que nascesse fosse chamado Arthur. E assim foi.
No mesmo período em que Arthur nasce Vivian dá a luz a um filho. Filho de Merlim? A dúvida permanece. Lancelot nasce destinado a ser amigo de Arthur, e ao mesmo tempo, destinado a fazê-lo sofrer. Quando o rei Arthur se apaixona por Guinevere e decide casar-se com ela, acaba por traçar de vez a sua própria queda.
A Vida Secreta de Merlim é um livro bem curto, e muito resumido. Heloisa Prieto tinha em mãos uma boa história, mas não chegou a explorar o suficiente. Ao ler tive a impressão de que tinha em mãos uma resenha, e não um livro. É verdade que depois de ler um livro extenso como A Guerra dos Tronos, qualquer outro acaba parecendo curto e objetivo demais. De qualquer forma, não posso dizer que teria gostado se a circunstância fosse outra.
Por ser uma história medieval clássica e conhecida, não posso deixar de indicar. Principalmente aos fãs da literatura fantástica e medieval.
Minha Avaliação: ♦♦♦♦♦ (Regular)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...