sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Pecados Sagrados - Nora Roberts

Seus pecados foram perdoados...

Combinando cenas de suspense explosivo com paixões arrebatadoras, Nora Roberts bota pra ferver nesta novíssima e clássica história - a tórrida narrativa de um casal no encalço de um assassino enlouquecido, uma busca que os fará mergulhar de cabeça no perigo.

Nos indolentes dias de verão, uma impiedosa onda de calor é o principal assunto na capital norte-americana. Mas a condição climática logo deixa de ser matéria das primeiras páginas quando uma jovem é encontrada morta por estrangulamento. Um bilhete foi deixado: Seus pecados lhe são perdoados. 
Logo surgem duas outras vítimas, e, de repente, as manchetes passam a ser dedicadas ao assassino que a imprensa apelidou de "Padre".
Quando a polícia pede à Dra. Tess Court, uma psiquiatra renomada, que auxilie na investigação, ela apresenta o retrato de uma alma perturbada.
O detetive Ben Paris não dá a mínima para a psique do assassino. No entanto, o que ele não consegue descartar com facilidade é a sensual Tess.
Moreno, alto e bonitão, Ben tem uma reputação lendária com as mulheres, mas a fria e elegante Tess não reage como as outras que ele conheceu... e o detetive acha o desafio sedutor. Agora, enquanto os dois estão juntos numa perigosa missão para deter um serial killer, irrompe a chama de uma paixão incandescente. 
Mas há alguém que também está de olho na linda médica loura... e só resta a Ben rezar para que, se o assassino atacar, ele consiga detê-lo antes que seja tarde demais...


Pecados Sagrados foi lançado em 1987, é considerado por muitos críticos um livro de uma fase não muito boa de Nora Roberts. É fato que ele não se compara aos livros da série mortal que Nora escreveu sob o pseudônimo de J.D.Robb, mas não é de forma alguma condenável.
A história tem início em um dia do mês de agosto muito quente, em Washington, quando uma garota é encontrada morta com um amicto, acessório das roupas sacerdotais, dobrado sobre o peito após ser com ele enforcada. O detetive Ben Paris é designado para investigar o caso junto de seu companheiro de equipe Ed Jackson. 
Ben e Ed são completamente opostos. Ben é alto, moreno, magro e explosivo, enquanto que Ed é muito mais alto, com cabelos enrolados e barba farta e é ruivo, possui temperamento tranquilo. Além disso o último é naturalista e vive tentando convencer o amigo a mudar a alimentação e largar os cigarros. Ben e Ed são personagens encantadores, cheios de charme e características marcantes, e de certa forma completam um ao outro. 

"Por saber que ficaria com o rosto congelado se abrisse uma fresta na janela por muito tempo, Ben substituiu o cigarro que queria por uma barra de chocolate.
-Sabe o que o açúcar faz com o esmalte dos seus dentes? - Jamais inclinado a desistir de uma batalha, Ed pegou um pequeno recipiente de plástico com um lanche feito em casa, de passas, tâmaras, nozes sem sal e germe de trigo. Fizera o suficiente para dois. - Você precisa começar a reeducar os seus hábitos alimentares.
Ben deu uma grande e deliberada mordida na barra de chocolate.
-Quando o Roderick nos render, vamos dar uma parada no Burger King a caminho da delegacia. Vou pedir um duplo Whooper.
- Por favor, enquanto eu estiver comendo , não. Se Roderick, Bigsby e metade da delegacia seguissem uma dieta correta, não teriam ficado gripados.
-Eu não adoeci - Rebateu Ben, a boca cheia de chocolate.
-A sorte é cega. Quando você chegar aos 40, o seu organismo vai se revoltar. Não vai ser nada bonito. O que é isso?" - PG 336-337

Quando os assassinatos de mais duas mulheres ocorrem, o prefeito sugere a polícia que permita a avaliação de uma psiquiatra, que poderia ajudar a levantar o perfil do assassino. A Dra.Teresa Court, neta do influente senador Writemore, vai a delegacia em um dia chuvoso apresentar seus serviços aos policiais, quando literalmente se choca com Ben Paris. Imediatamente o clima entre os dois parece tenso. Tess enxergava o assassino como um homem doente que precisava de ajuda, alguém que ela deveria entender e tratar. Ben não se importava com as análises psicológicas e os perfis tratados pela Dra. Court, ele queria apenas capturar o assassino e aplicar a justiça.
Na verdade tanto Ben quanto Tess tinham fortes preconceitos sobre a profissões um do outro, e conforme as investigações foram tomando rumo, passaram aos poucos a derrubar as barreiras que os separavam. Eles iniciam um relacionamento que promete abalar o orgulho e remexer em antigos traumas.
Tess é uma personagem extremamente firme, do tipo de mulher que oculta todos os sentimentos e reações. Para ela era seu dever não cometer erros e encontrar a cura para seus pacientes. Enquanto tinha de se concentrar em seu trabalho, em conjunto com a polícia, para prender o assassino "Padre",  Tess estava também envolvida profundamente com o tratamento de um menino de 14 anos, Joey, que apresentava depressão aguda. Tanta pressão sobre seus ombros acaba culminando em uma explosão de sentimentos e emoções que acaba definindo os rumos de sua relação com Ben Paris.

"Ela se aproximou. Não havia a meno necessidade de sangue-frio, nem de fingimentos. Quando ele ergueu as mãos e tomou-lhe os ombros, ela continuou a sorrir.
-Imagino que você ache tudo isso muito engraçado.
-Acho que sim. E imagino que posso correr um risco calculado e dizer a você que senti a sua falta. Senti muito a sua falta. Gostaria que eu dissesse por que está zangado?
-Não.
Ben puxou-a pra junto de si e sentiu ps lábios curvos e macios, que logo se renderam aos dele. A seda do quimono farfalhou quando a abraçou. Se pudesse afastar-se , ele o teria feito, sem olhar para trás. Mas soubera assim que se vira na porta que era tarde demais.
-Não quero dormir nesse maldito sofá. E não vou deixar você sozinha.
Ela se esforçou para abrir os olhos e, pela primeira vez que se lembrava, teve vontade de ser arrebatada.
-Dividirei a cama com você com uma condição.
-Qual?
-Que faça amor comigo.
Ele a abraçou, para sentir o perfume de seus cabelos e a forma como lhe roçavam a pele.
-Sabe como negociar, doutora." PG 209

Em meio as investigações Tess acaba se tornando a próxima vítima, e mesmo com Ben lhe implorando para se afastar e não correr perigo, ela tem certeza de que o assassino precisa dela e que apenas ela pode ajudá-lo. Ben monta então uma forte defesa sob Tess, põe escutas nos telefones e coloca policiais de guarda no prédio dela. Conscientes do padrão usado pelo "Padre", eles já sabiam a data de sua próxima investida, e Ben quer ter certeza de que tudo correrá como planejado.
As últimas páginas do livro parecem prometer um desfecho extraordinário, mas isso acaba não acontecendo. O final é previsível e muito vazio, diria que é a única coisa ruim no livro. Mesmo assim, Pecados Sagrados vale a pena, por seus personagens bem construídos, uma marca registrada de Nora Roberts.
Indico!

Faça o Download do livro AQUI!

Pra que não sabe, Pecado Sagrados é o primeiro de uma série de dois livros. Não tem problema em ler um antes do outro, não atrapalha na leitura. 
  • Pecados Sagrados - Ben Paris e Tess Court
  • Virtude Indecente - Ed Jacson e Grace McCabe





3 comentários:

  1. Parabéns pela resenha Hellen! Muito em breve pretendo ler Pecados Sagrados. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. http://www.fanpop.com/spots/johnny-depp/images/18770435/title/johnny-gif-fanart

    ResponderExcluir
  3. Hellen, nada se compara a Rourke!!!
    Mas bem que eu gostaria de ter um detetive desse para dividir a cama.
    Quem sabe um dia eu leio.
    Bjos, Carol.

    ResponderExcluir

☺ Obrigada por comentar. ☺
Volte sempre ao Hellen's Stuffs!

Beijos♥
H.C.C.Reis

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...