segunda-feira, 25 de julho de 2011

De volta para Casa - Mary Sheldon

"Forte e assombroso, com personagens que tocam o coração. Um romance para não ser esquecido."
Sidney Sheldon

"Mary escreveu um livro que deixará seu pai, Sidney Sheldon, orgulhoso. Um romance que prende a atenção do leitor desde o começo."
Kirk Douglas

"Nesta história o leitor é condizido a uma jornada reflexiva que passa por grandes expectativas, mal-entendidos e desapontamentos."
Library Journal



Alexis é uma das mais conceituadas decoradoras de interiores de Nova York. Mas apesar de ter um bom casamento, um ótimo emprego e uma vida com a qual a maioria das pessoas não pode sequer sonhar, é infeliz. Leva uma existência vazia e sente falta da mãe, Maggie Royal, que a abandonou quando criança.
Maggie teve uma infância pobre no Texas, mas superou todas as dificuldades e se transformou em estrela de cinema. Agora, muitos anos depois, concorda em dar uma entrevista para falar de seu passado. O que a leva a recordar a filha que abandonou aos oito anos em troca da carreira artística.
Para Alexis, a mãe é mais que um rosto bonito nas capas de revistas. Maggie representa uma perda que jamais conseguiu superar. Uma dor que quase acaba com sua sanidade, recuperada apenas por meio de um trabalho assistencial com adolescentes problemáticos. Após anos separadas, aos poucos o reencontro de mãe e filha torna-se inevitável. Mesmo que isso provoque novas feridas bastante dolorosas.
De volta para casa é um romance emocionante sobre arrependimento e reconciliação. Uma história de duas vidas entrelaçadas para sempre pelo destino.


Seria impossível pegar este livro para ler sem esperar algo especial dele, afinal, a escritora é ninguém menos que a filha de Sidney Sheldon, um de meus escritores favoritos. Assim, eu já imaginava um livro cheio de romance, com personagens fortes e arrebatadoras e um estilo característico do próprio Sidney Sheldon.
Pra minha surpresa, eu estava enganada. Mary Sheldon possui alguma semelhança com o pai, a maneira como monta a seqüência de capítulos, que acaba surtindo o efeito de uma progressão. É como se as personagens saíssem de lugares diferentes e caminhassem para um mesmo ponto de encontro. Lembrou bastante O outro lado da meia-noite, em que as personagens principais tinham suas trajetórias descritas em capítulos diferentes que acabaram convergindo. É isso que acontece entre a infância de Alexis, a Alexis adulta e a mãe, Maggie Royal, que conta sua vida em uma entrevista.
Por outro lado Mary demonstra ser o inverso do pai já que suas heroínas são mulheres, de certa forma, fracas e perdidas em conflitos interiores. Alexis é volúvel, parece não ter vontade própria, sempre se deixando levar pela avó. Ela passa a vida inteira parada, apenas pensando em seu passado, ou melhor, fugindo dele. A outra personagem principal também não é uma mulher de muita ação. Maggie Royal corre atrás de seus sonhos profissionais, mas na realidade os acontecimentos ficam mais a cargo do destino.
Mas a principal, e essencial, diferença entre pai e filha é sem dúvida a maneira que ambos lidam com o romance. Para Sidney Sheldon o sexo é o foco de interesse e motivação das pessoas. Em seus livros é muito fácil perceber isso, já que o assunto sempre tem uma posição de destaque.
Mary provou não partilhar da visão do pai, uma vez que romances e paixões são deixados absolutamente de lado, ao menos nesse livro. O tema principal abordado é o abandono, os traumas e o amor entre pais e filhos. Mary demonstrou o quanto a ausência desse amor pode afetar todos os outros aspectos de uma vida. Com isso provou ser detentora de estilo próprio e uma sensibilidade admirável.




Um comentário:

  1. Vou colocar esse livro entre minhas metas, ai te falo o que achei, mas gostei da resenha, voce leva jeito.


    http://ummundoquaseparticular.blogspot.com


    ResponderExcluir

☺ Obrigada por comentar. ☺
Volte sempre ao Hellen's Stuffs!

Beijos♥
H.C.C.Reis

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...