terça-feira, 31 de maio de 2011

Reparação - Ian McEwan

"Houve um crime. Mas houve também um casal apaixonado."
   pág 442


Reparação é um romance fascinante cujo tema principal são erros e a busca pelo perdão. A história gira em torno da personagem Briony Tallis que desde cedo sonhava em ser escritora. Vivendo em um mundo imaginário e fantasioso, Briony acaba fazendo interpretações errôneas de acontecimentos vividos por sua irmã Cecília e o filho da arrumadeira, Robbie. 
A partir dai uma série de erros culmina em um crime cuja consequência mudou para sempre a vida de toda a família Tallis.
Dividido em três partes e um epílogo, o livro tem o poder de prender a atenção, surpreender e transmitir emoção sincera. Na segunda e terceira parte do livro o leitor é levado aos horrores da guerra, desde os campos de batalha até as enfermarias lotadas de feridos de guerra.
A maior surpresa, porém, vem no epílogo. Nesta parte a história passa a ser vista por outro ângulo. É sem dúvida um final diferente, e perfeito para a grandeza da história.
Algo que chama a atenção é a construção psicológica das personagens. São todas profundas e densas. Também o enredo é muito bem construído e igualmente rico. 
Uma das passagens do livro que admirei foi quando Briony perde para a prima o papel principal em sua própria peça de teatro. Segue então um conflito interno admiravelmente bem descrito:

"Está bem. Incapaz de forçar a língua a articular as palavras Briony só conseguiu assentir com a cabeça, e nessa hora sentiu uma emoção pesada de auto-aniquilamento se espalhar por toda a sua pele e depois se expandir, como um balão, a latejar, escurecendo o quarto. Tinha vontade de ir embora, de se deitar de bruços e ficar sozinha, na cama, saboreando o azedume atroz naquele momento e ir retrocedendo na cadeia bifurcante de casualidade até chegar ao ponto em que a destruição começou. Precisava imaginar de olhos fechados toda a riqueza do que havia perdido, do que havia entregado de mão beijada, e antever a nova situação. Não apenas Leon, mas também o que seria daquele vestido antigo, de cetim cor de pêssego e creme, que sua mãe estava preparando para ela, para o casamento de Arabella? O vestido agora iria para Lola. Como poderia sua mãe rejeitar a filha que a amava havia tantos anos? Vendo o vestido adaptar-se perfeitamente às formas de sua prima, testemunhando o sorriso desalmado de sua mãe, Briony deu-se conta de que nesse caso, como a única coisa a fazer seria fugir, ia viver debaixo das sebes, comendo frutas silvestres e sem falar com ninguém, e ser encontrada por um mateiro barbudo numa madrugada de inverno, toda encolhida ao pé de um carvalho gigantesco, linda e morta, e descalça, ou talvez de sapatilhas, aquelas com fitas rosa...
Autocomiseração exigia atenção concentrada, e só na solidão ela poderia evocar de modo vívido os detalhes torturantes, mas no instante em que concordou - como um movimento de cabeça podia mudar toda a vida! -, Lola pegou no chão o manuscrito de Briony, enquanto os gêmeos se levantavam e seguiam a irmã até o espaço central do cômodo, que Briony havia preparado na véspera. Ousaria ela ir embora agora?"
 pág 24-25

Um outro trecho muito bom é de Turner em delírios no porão de uma casa em ruínas com outros soldados. O interessante é que em meio a um momento de desespero, de cansaço extremo e de dor, ele acaba perdendo a noção de significado, mesmo daquilo que para ele era o mais importante:

"Em pouco tempo não se ouvia além da respiração regular e dos roncos dos soldados. Turner continuava sentindo que o chão se inclinava, depois se movia no ritmo de uma caminhada, e mais uma vez não conseguia dormir por estar sob o impacto de impressões fortes, febril e exausto demais. Através do tecido da túnica, apalpou o maço de cartas. Vou esperar por você. Volte. As palavras tinham um sentido, porém não o comoviam agora. Era muito simples - uma pessoa esperando por outra era como uma operação aritmética, uma coisa tão desprovida de emoção quanto uma soma. Esperar. Simplesmente uma pessoa ficar sem fazer nada, durante algum tempo, enquanto outra se aproximava. Esperar era uma palavra pesada. Ele sentia a pressão dela, pesada como um capote. Todos naquele porão estavam esperando, todos na praia. Ela estava esperando, sim, nas e daí? Tentou fazer com que a voz dela pronunciasse aquelas palavras, porém só ouvia sua própria voz, um pouco mais baixa que as batidas de seu coração. Não conseguia nem sequer formar a imagem do rosto dela."
 pág 313

Seria difícil falar mais sobre este livro sem cometer o deslize de deixar spoilers, então paro por aqui. Aos que ainda não leram, não percam a oportunidade. Este livro vale a pena!


Faça o download do livro AQUI!



2 comentários:

  1. Realmente está aí um livro que eu teria muita vontade de ler. Não vi o filme, o que é uma pena, mas ainda o verei e procurarei ler o livro. Fiquei ainda mais interessada em saber que as personagens são bem construídas. Gostei muito dos trechos expostos no post.

    Bjo!

    ResponderExcluir
  2. Tenho o filme que é baseado no livro, Desejo e Reparação. Ainda não assisti mas me interessei por essa história =)

    teh mais

    ResponderExcluir

☺ Obrigada por comentar. ☺
Volte sempre ao Hellen's Stuffs!

Beijos♥
H.C.C.Reis

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...