quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Curtas de animação

Olá pessoal! Depois que minha amiga Carol do Blog Cantinho da Carolina começou a me mostrar curtas de animação, eu simplesmente viciei. Hoje resolvei compartilhar alguns dos meus achados. Tem para todos os estilos, espero que gostem!

Alma



Lady Ice



Argine



Love Recipe


Alarm


Love Line

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Jogos Vorazes - Suzanne Collins

Título: Jogos Vorazes
Título Original: The Runger Games
Autora: Suzanne Collins
Editora: Rocco
ISBN: 978-85-7980-024-5
Páginas: 397
Matar ou morrer. Não há escolha. Na arena, o mais capaz vence.
Que os Jogos Vorazes comecem!

Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mãos de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstra seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, e que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte!
Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido Distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, uma garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?

Jogos Vorazes é o primeiro livro de uma trilogia futurística. A história se passa no que restou da América do Norte atual, uma nova nação chamada Panem, subdividida em doze distritos (o décimo terceiro foi destruído), e a Capital, o centro do poder. Katniss Everdeen é uma garota, cheia de responsabilidades, do distrito mais pobre da Panem, o 12. Após a morte de seu pai em uma mina de carvão, e por consequência disso, a doença de sua mãe, Katniss teve de tomar para si as responsabilidades da casa. Com ajuda de seu melhor amigo Gale, ela caça fora dos limites do distrito e troca a carne por todo o tipo de mercadorias e comida de que precisa. Além disso, ela é uma profunda conhecedora de plantas comestíveis.
Todos os anos acontece na Panem um evento proposto pela Capital, a Colheita. Nessa ocasião são sorteados, em cada um dos doze distritos, dois tributos, ou seja, um menino e uma menina que serão enviados para os Jogos Vorazes. Toda a Panem assiste a essa espécie de Reality show, cujo objetivo é matar os outros competidores, e sobreviver.
Katniss não esperava que sua irmã, Prim, tivesse alguma chance de ser sorteada, já que ela acabara de fazer doze anos, a idade mínima para participar dos Jogos. O destino, entretanto, parece estar conspirando contra ela quando sua irmã é sorteada como tributo. Sem pensar ela se oferece em seu lugar, ao que é prontamente atendida.

"É a hora do sorteio. Effie Trinket diz como ela sempre faz, “Damas primeiro!” e cruzou o globo de vidro com os nomes das garotas. Ela chegou, empurrou sua mão fundo no globo, e puxa pra fora uma tira de papel. A multidão prende em uma respiração coletiva e então você pode escutar um alfinete cair, e eu estou me sentido com náuseas, e desesperadamente desejando que não fosse eu, que não fosse eu, que não fosse eu.
Effie Trinket atravessa o pódio, alisa o pedaço de papel, e lê o nome numa voz clara. E não é eu.
É Primrose Everdeen."

Ela não esperava também que o tributo masculino sorteado fosse ele, Peeta Mellark. Na verdade eles nunca conversaram, já que ela considera Peeta como o afortunado filho do padeiro, para quem nunca falta alimento. Mas ela deve a ele a sua vida, e apesar disso o fato de estarem indo juntos para a arena não a conforta, já que para vencer, ela terá de mata-lo. 
Katniss e Peeta são levados para a Capital, onde são treinados e apresentados ao público. A equipe responsável por eles lança uma imagem inesquecível para o público, tornado-os favoritos. Pela primeira vez em muitos anos, o distrito 12 parece ter chances de ganhar. Entretanto quando são lançados na arena, se veem em um ambiente completamente hostil, onde estão a merce da Capital, que tem seus próprios planos sobre cada competidor. A única chance de sobrevivência de Katniss e Peeta parece ser representar para o público exatamente aquilo que eles desejam ver... romance.

" 'Vocês não amariam puxá-la de volta para cá e conseguir uma resposta?' Ceasar pergunta à audiência. A multidão grita assentindo. “Tristemente, regras são regras, e o tempo de Katniss Everdeen acabou. Bem, sorte para você, Peeta Mellark, e acho que eu falo por toda a Panem quando eu digo que nosso coração vai com o seu.”
O rugido da multidão é ensurdecedor. Peeta tem absolutamente apagado o resto de nós do mapa com sua declaração de amor por mim. Quando a audiência finalmente se aquieta, ele sufoca um calmo “Obrigado” e retorna à sua cadeira. Nós ficamos de pé para o hino. Eu tenho que levantar minha cabeça por respeito obrigatório e não posso fugir de ver que todas as telas estão agora dominadas pelas imagens de Peeta e eu, separados por poucos passos que nas cabeças dos observadores não podem ser violados. Pobre de nós."

Jogos Vorazes é um livro eletrizante, narrado em primeira pessoa por Katniss. Após iniciar a leitura se torna impossível deixa-la. Li Jogos Vorazes em uma "sentada", comecei de tarde e parei apenas quando cheguei ao fim, as 5 horas da manhã. É impossível descrever a sensação que a leitura causa. Não se trata de um grande clássico literário, e sim de um maravilhoso passatempo. É fato que algumas passagens são bem mal explicadas, como por exemplo, o fato de existirem tantas câmeras na arena, entre outros detalhes que foram mal arrematados. Na verdade todos os possíveis "defeitos" são encobertos pela história muito bem narrada, e extremamente criativa que Suzanne Collins desenvolveu. 
Minha Avaliação: ♦♦♦♦♦ (Ótimo)

Faça o download do livro AQUI!


Confira o trailer do filme Jogos Vorazes, cuja estréia está prevista para março de 2012:

sábado, 24 de dezembro de 2011

Deixados para trás 3 - Nicolae - Tim Lahaye e Jerry B. Jenkins

Título: Nicolae - O anticristo chega ao poder
Título Original: Nicolae
Autores: Tim Lahaye e Jerry Jenkins
Tradução: Maria Emília de Oliveira
Editora: Hagnos
ISBN: 85-243-0176-7
Páginas: 400
O anticristo chega ao poder

Primeiro, eles foram deixados para trás.
Depois, formaram o Comando Tribulação.
Agora, precisam defrontar-se com Nicolae.


Chegou a Hora de encarar o anticristo.
Ele surgiu e está em plena atividade:
Rayford estava perplexo e sabia que Amanda sentia o mesmo, diante do comportamento de Nicolae Carpathia. O jovem elegante, agora na casa dos trinta anos, parecia ter atingido o posto de líder mundial do dia para a noite, talvez contra a sua vontade. Passara de um indivíduo desconhecido pertencente à Câmara dos deputados a presidente do seu país. Em seguida, quase que imediatamente, tomara o lugar do secretário-geral da Organização das Nações Unidas. Após quase dois anos de paz e de uma campanha maciça bem-sucedida para cativar o povo depois do caos e do terror que se instalaram no mundo em seguida aos desaparecimentos, Carpathia estava enfrentando pela primeira vez uma oposição significativa.

Este é o terceiro, e  mais eletrizante até agora, livro da série Deixados para Trás. Nos volumes anteriores o leitor é levado a conhecer o drama enfrentado pelos personagens principais, e por todo o mundo, quando misteriosamente milhares de pessoas desaparecem em todo o mundo. Rayford, Chloe, Buck, Bruce e Amanda formam o Comando Tribulação, e lutam contra a dominação de um homem cruel e mentiroso, a quem, eles tem certeza, se trata do anticristo.
Estudando as profecias previstas no livro de Apocalipse, o Comando Tribulação espera por tempos de guerra e terror. O livro tem início quando a Terceira Guerra Mundial eclode. Era o previsto pela Bíblia, cavaleiro vermelho que espalharia a guerra por toda a terra. O líder mundial, Nicolae Carpathia, sempre dissimulado, faz promessas de paz e de reconstrução, entretanto sua real intenção era destruir seus inimigos e adversário. 
Rayford, como piloto do anticristo, acaba descobrindo uma maneira de saber de seus planos. Na verdade, graças ao seu amigo Earl Halliday, que colocou escutas no avião particular de Carpathia, Rayford pode avisar sua família pouco antes das bombas preparadas por Nicolae explodirem sobre Chicago.

"Rayford tirou um livro da maleta e abriu-o, colocando-o sobre os controles diante de si. Teria de lembrar-se de virar uma página de vez em quando. Ele não tencionava ler. Ficaria ouvindo atentamente. Deslizou a mão sob a poltrona e apertou discretamente o botão oculto." Página 52

Mas todos os problemas estavam apenas começando. Buck vai para Israel para tentar resgatar o Dr. Tsion Ben-Judá, um judeu que aceitou a verdade de Cristo através da pregação das duas testemunhas (também previstas no Apocalipse) no muro das lamentações. Ben-Judá, um estudioso da religião, foi apenas um dos primeiros dos 144 mil judeus convertidos, já profetizados na Bíblia. Correndo sério risco de morte, Buck se infiltra em um território hostil, contando apenas com a fé.

"- Então façam teste comigo. – disse Buck. – O que preciso fazer para convencer você de que não estou blefando, e ao mesmo tempo me convencer de que você está pensando na mesma pessoa que eu?
- Excelente – disse Michael. – Diga se é verdadeiro ou falso. A pessoa que você esta procurando é jovem.
Buck respondeu rapidamente.
- Falso se eu comparar com você.
Michael prosseguiu.
- A pessoa que você está procurando é do sexo feminino.
- Falso.
- A pessoa que você está procurando é um médico.
- Falso.
- Um gentil?
- Falso.
- Ignorante?
- Falso.
- Bilingui?
- Falso.
Buck ouviu Michael movimentar a arma possante nas mãos e completou rapidamente:
- bilíngüe não diz tudo. Seria melhor dizer poliglota.
Michael deu um passo a frente encostando a arma na garganta de Buck. Buck fez uma careta e fechou os olhos." Página 189
Mais ainda estava por vim. O Comando Tribulação sabia que após o cavaleiro vermelho viriam ainda outros, trazendo fome, doenças e morte. Um quarto da população da terra pereceria. E eles aguardavam com temor uma outra profecia, que ao que tudo indicava, estava prestes a se cumprir. A 'Ira do Cordeiro' viria sobre toda a terra. Se a Bíblia pudesse ser interpretada literalmente, um terremoto destruidor abalaria o mundo.

"Buck, estava a meio caminho de monte Prospect quando percebeu algo estranho. Animais na pista. Em grande quantidade. E outros tantos tentando atravessar a  rua. Esquilos, coelhos, serpentes. Serpentes!! Ele vira algumas serpentes no meio-oeste, principalmente no extremo norte. Serpente não-venenosas. Então era isso, mais porque tantas assim? Guaxinis, gambás, patos, gansos, cães, gatos, animais por toda a parte. Buck abaixou o vidro do Rand Rover e prestou atenção. Bandos enormes de pássaros voavam de uma arvore para outra. Mais o céu estava brilhante. Sem nuvens. Parecia não haver nenhuma brisa. Nenhuma folha balançava das arvores." Pagina 388 

Este é um ótimo livro, que prende completamente a atenção do leitor. Uma ficção baseada no Apocalipse que trás uma possível interpretação sobre as passagens tão misteriosas do livro da revelação. Indico esta série!
Minha Avaliação: ♦♦♦♦ (Muito Bom)

Faça o download do livro AQUI!

Série Completa:

Deixados para trás 3 - Nicolae
Deixados para trás 4 - A Colheita
Deixados para trás 5 - Apoliom
Deixados para trás 6 - Assassinos
Deixados para trás 7 - O Possuído
Deixados para trás 8 - A Marca
Deixados para trás 9 - Profanação
Deixados para trás 10 - O Remanescente
Deixados para trás 11 - Armagedon
Deixados para trás 12 - O Glorioso Aparecimento
Deixados para trás 13 - A Vitória Final

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Deixados para trás 2 - Comando Tribulação - Tim Lahaye e Jerry B. Jenkins

Título: Comando Tribulação
Título Original: Tribulation Force
Autores: Tim Lahaye e Jerry B. Jenkins
Tradução: Maria Emília de Oliveira
ISBN: 85-243-0133-3
Editora: United Press
Deixados para trás... O drama continua...

Em um momento de pânico total, milhões de pessoas desaparecem ao redor do mundo. Os que foram deixados para trás agora enfrentam guerra, fome, pragas, e calamidades naturais tão devastadoras que as expectativas são que apenas uma em cada quatro pessoas sobreviva. A situação ainda é pior para os inimigos do Anticristo e de sua nova ordem mundial, pessoas que perceberam que os desaparecimentos eram o arrebatamento profetizado no livro de Apocalipse.
Agora Rayford Steele, Buck Williams, Bruce Barnes e Chloe Steele resolvem se reunir para formar o Comando Tribulação, cuja missão é resistir e lutar contra os inimigos de Deus durante os sete anos mais caóticos que o planeta viverá. É uma missão difícil, que exigirá o máximo de cada um deles para que seja cumprida.

Comando Tribulação é a continuação do sucesso de vendas nos Estados Unidos Deixados para trás. No primeiro livro conhecemos o drama das pessoas que ficaram no mundo após diversos desaparecimentos. Entre eles, Rayford Steele, um piloto de avião, sua filha Chloe, o jornalista Buck Williams e Bruce Barnes. 
Essas quatro pessoas se juntaram para lutar contra o grande líder em ascensão mundial, Nicolae Carpathia. Eles acreditam que Nicolae é o Anticristo previsto no livro de Apocalipse, a própria encarnação do demônio.
Apenas eles sabem com certeza que o carisma e a bondade de Carpathia são uma máscara para camuflar suas verdadeiras intenção de dominar o mundo.

"Carpathia e Rayford desceram da limusine em um imenso hangar do aeroporto Kennedy. Carpathia disse ao motorista
─ Diga a Frederick para preparar a apresentação de sempre.
Quando as portas do hangar se abriram, o avião foi magnificamente iluminado por holofotes. No lado diante de Rayford viam-se as palavras Air Force One e o brasão da presidência dos Estados Unidos. No entanto, quando se dirigiram para o outro lado, Rayford viu um grupo de homens em cima de um andaime, pintando o avião. O Brasão e o nome tinham sido eliminados. Em seu lugar, havia o antigo logotipo da Organização das Nações Unidas mas com as palavras Comunidade Global pintadas por cima do nome atual." Página 281

Em Comando Tribulação, esse grupo acaba tendo que conviver e trabalhar para Nicolae. Rayford torna-se seu piloto pessoal, e Buck Williams é convocado a trabalhar para ele, não tendo como recusar. A história passa por vários cenários de confusão e princípio de guerra, de Nova York a Israel, e até mesmo a Nova Babilônia, nação construída por Carpathia.
No muro das lamentações Buck vivencia novamente uma experiência sobrenatural ao se encontrar com as duas testemunhas, também anunciadas no Apocalipse.
A aventura e ação é amenizada pelo romance entre Buck e Chloe, que depois de muitos desentendimentos acabam se acertando. 

"Foi uma grande idéia! pensou Buck, impressionado por Ryford ter confiado nele a ponto de deixá-lo conversar com Chloe apesar de ela ter demonstrado estar aborrecida com ele. Aguardou alguns instantes e tocou novamente a campainha. Ela gritou:
─ Um momento, estou indo!
O rosto de Chloe apareceu na janelinha no meio da porta. Ela revirou os olhos. 
─ Buck! ─ ela disse, com a porta fechada.─ Ligue para mim amanhã, está bem? Eu já estava deitada!
─ Preciso conversar com você ─ disse Buck.
─ Não agora.
─ Sim, agora ─ ele disse. ─ Não vou sair daqui até você conversar comigo.
─ Não vai sair?
─ Não, não vou.
Chloe não levou essas palavras em consideração. A luz da varanda apagou-se ele ouviu os passos dela subindo a escada. (...)
Buck sentou-se no último degrau da escada da varanda com as costas para a porta, encostando-se em um dos imponentes pilares." Página 168

Esse segundo livro da série não desapontou, mas o primeiro continua sendo melhor e mais surpreendente. O final do livro deixou um pouco a desejar, isso também pode ser explicado, já que o terceiro livro começa exatamente de onde o segundo termina. Novamente indico a todos os interessados em teorias de fim do mundo, ou simplesmente leitores em busca de um bom livro. Corra para ler antes que o mundo acabe!
Minha Avaliação: ♦♦♦♦(muito bom)

Faça o download do livro AQUI!


Série Completa:

Deixados para trás 1 (já postado no blog)
Deixados para trás 2 - Comando Tribulação
Deixados para trás 3 - Nicolae
Deixados para trás 4 - A Colheita
Deixados para trás 5 - Apoliom
Deixados para trás 6 - Assassinos
Deixados para trás 7 - O Possuído
Deixados para trás 8 - A Marca
Deixados para trás 9 - Profanação
Deixados para trás 10 - O Remanescente
Deixados para trás 11 - Armagedon
Deixados para trás 12 - O Glorioso Aparecimento
Deixados para trás 13 - A Vitória Final

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Identidade Roubada - Chevy Stevens

Título Original: Still Missing
Autor: Chevy Stevens
Editora: Arqueiro
Tradução: José Roberto O'Shea
ISBN: 978-85-8041-012-9
Páginas: 254
"Um mistério envolvente sobre o sequestro de uma mulher e também a história do seu difícil retorno à vida e à liberdade - tudo isso contado por uma heroína inesquecível." 

Era para ser um dia como outro qualquer na vida de Annie O'Sullivan. A corretora de imóveis levanta da cama com três objetivos: vender uma casa, fazer as pazes com a mãe e não se atrasar para o jantar com o namorado.
Naquele domingo, aparecem poucas pessoas interessadas em visitar o imóvel. Quando Annie está prestes a ir embora, uma van estaciona diante da casa e um homem sorridente vem em sua direção. A corretora tem certeza de que será seu dia de sorte. Mas o inferno está a apenas começando.
Sequestrada por um psicopata, Annie fica presa durante um ano inteiro em um chalé nas montanhas, onde vive um pesadelo que deixará marcas profundas.
Construído de maneira extremamente original , Identidade Roubada é o relato visceral que Annie faz à sua terapeuta dos 365 dias em que ficou a mercê do homem a quem chamava de Maníaco.
As memórias que vêm à luz ao longo de 26 sessões de análise são intercaladas com a história de sua vida desde que conseguiu escapar do chalé: a luta para superar seus medos e se reencontrar, a investigação policial para descobrir a identidade do sequestrador e a sensação perturbadora de que seu martírio ainda não acabou.
Em sua estreia, Chevy Stevens cria uma heroína inesquecível que, depois de sobreviver a uma experiência devastadora, precisa descobrir a verdade para se libertar.

Peguei esse livro emprestado da minha amiga e companheira de leituras Carol, do blog Cantinho da Carolina. Como faço aniversário em janeiro, ela pensou em comprar meu presente antecipadamente. Escolheu me dar Identidade Roubada, já que é um suspense, e eu sempre amei histórias de crimes, mortes e afins... 
O problema é que quando o livro chegou pelo correio ela não aguentou esperar e acabou lendo o livro e constatou que ele não era assim tão bom para me dar de presente. Eu agradeço, pois cheguei a mesma conclusão.
Identidade Roubada é um livro diferente. Não tem uma história comum. Conta a história de Annie, que é sequestrada por um Maníaco (como ela o chamava), e é levada para um chalé nas montanhas. Lá Annie é completamente subjugada por ele. Estuprada, tortura, e obrigada a seguir diversas regras impostas pelo Maníaco, aos poucos ela vai se esquecendo completamente de quem era, e se torna uma mulher oprimida e completamente atormentada pelos medos.

" Passados alguns dias , num momento em que ele estava fora, resolvi correr até o banheiroe fazer xixi. Ele voltou quando eu tinha acabado de dar descarga, e a água ainda escorria. Fiquei ao lado da cama, fingindo arrumar o lençol. Achei que ele não escutaria o barulho da descarga, mas, quando abriu a torneira da cozinha para encher um copo, ele levantou a cabeça e foi até o banheiro. Em questão de segundos, avançou sobre mim, com o rosto vermelho e os lábios contorcidos num rosnado. Encolhi-me num canto e tentei dribá-lo, mas ele me agarrou pelos cabelos.
O Maníaco me arrastou até o banheiro e me obrigou a ajoelhar diante do vaso. Então levantou a tampa e enfiou minha cabeça lá dentro, batendo com minha testa no assento. Ainda agarrado aos meus cabelos, puxou minha cabeça para trás e, com a mão livre, encheu o copo com a água do vaso. Agachou-se atrás de mim, forçou minha cabeça para trás e levou o copo à minha boca."

A narrativa é feita em primeira pessoa, com Annie contando para sua terapeuta sobre o ocorrido nas montanhas e as coisas que sucederam a isso. O tempo, no entanto, não é cronológico, e sim psicológico. Conforme vai criando coragem Annie conta o que sente, o que a angustia e até mesmo coisas que nunca teve coragem de contar a ninguém após ser resgatada. 
O que não faltam a Annie são traumas para contar, entre eles Spoillers [ o fato de ter engravidado do Maníaco enquanto esteve nas montanhas, ter dado a luz a uma menina e ter perdido a filha, que morreu por falta de assistência médica ]. Enquanto narra os acontecimentos da montanha, Annei passa por novos momentos que abalam ainda mais sua fragilizada estrutura psicológica. 
A porção da história em que Annie está com o Maníaco é bastante interessante, repleta de tensão e medo. Porém logo que Annie é resgatada, o que acontece no meio do livro, Spoillers [resgatada talvez não seja a palavra certa, pois ela consegue fugir após matar o Maníaco com um machado] a história se torna monótona e extremamente previsível. Antes mesmo de alcançar o meio do livro eu já sabia, com toda a certeza, qual seria a última frase do livro Spoillers [ não sabia qual seria o nome, mas sabia que o livro terminaria com Annie revelando o nome da filha morta, e não deu outra]

"Um cheiro de bacon entrou pela janela aberta, e inspirei o aroma com vontade. O Maníaco nunca me deixava comer bacon, pois dizia que eu ficaria gorda.
Fiquei com a boca cheia de água quando vi um homem sentado perto da janela pegar um pedaço de bacon, mastigar rapidamente e abocanhar outro pedaço. Eu queria comer bacon, um prato cheio, bem devagarinho, saboreando os pedaços salgados, mas com um toque adocicado. Um pratão dessa iguaria para mandar o Maníaco se foder!"

Apesar de não ter gostado de Identidade Roubada, não posso deixar de indicar, pois a maioria dos leitores tem apreciado a leitura. Fico contente por ter me livrado de ganhar-lo de aniversário.
Minha Avaliação: ♦♦♦♦♦ (regular)

Leia o primeiro capítulo AQUI!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

O Leitor Recomenda: O Conde de Monte Cristo - Alexandre Dumas

Quem recomenda: 
Paulo Victor Alcantara

Blog/Site:
 http://www.wix.com/arc_79/arc

Título do livro: 
O Conde de Monte Cristo

Autor:
Alexandre Dumas

Tema: 
Vingança

Gênero: 
Romance/Aventura

Classificação: ♦♦♦♦


Sinopse: A história se passa na França, onde o marinheiro Edmond Dantes sonha tornar-se capitão e casar-se com a Amanda Mercedes. Numa determinada viagem de Dantes com o amigo, o aristocrata Fernando Mondego, o capitão do navio adoece e são obrigados a procurar assistência médica, ancorando na Ilha de Elba, onde Bonaparte está exilado. O capitão vem a falecer e antes de partirem, Napoleão incumbe Dantes, que não sabe ler, nem escrever, de entregar uma carta a um amigo. De volta a Marselha, Dantes é promovido a capitão e pede Mercedes em casamento. Mondego com ciúme e inveja do amigo, delata Dantes às autoridades, informando sobre a misteriosa carta de Napoleão, razão pela qual é condenado injustamente à prisão, isolado em uma ilha, onde amargou longos anos.Dantes passa da dor ao desespero e à falta de esperança até encontrar como colega de infortúnio o abade Faria, que o ensina a ler, escrever, matemática, idiomas, a arte de um espadachim, a redescobrir a vida e entender a trama diabólica que o levou a prisão. Porém, o abade morre, mas antes revela um mapa de tesouro, além de contribuir para a fuga magistral de Dantes.Seguindo o mapa, Dantes encontra a fortuna, transformando-se no poderoso Conde de Monte Cristo. Retornando à França, revê todos os inimigos e descobre que Mondego está casado com sua noiva Mercedes, aumentando sua raiva e dando início ao plano mirabolante de vingança.
O que achou do livro: Trata-se de um clássico. É difícil encontrar palavras para descrevê-lo. O Livro é extremamente bem escrito, possui um enredo vibrante, que prende a atenção do leitor. Além disso o personagem principal é muito carismático. Sem dúvida, um livro difícil de esquecer.
Trecho do livro:  "Apoderou-se de Dantès uma febre vertiginosa. Pegou na espingarda, armou-a e colocou-a junto de si. Primeiro fechou os olhos, como fazem as crianças para distinguir na noite cintilante da sua imaginação mais estrelas do que podem contar num céu ainda claro, depois abriu-os e ficou deslumbrado. O cofre dividia-se em três compartimentos. No primeiro brilhavam rutilantes escudos de ouro de reflexos fulvos. No segundo, lingotes mal polidos e bem arrumados, mas que do ouro só tinham o peso e o valor. Finalmente no terceiro, meio cheio, Edmond revolveu às mãos-cheias diamantes, pérolas e rubis, os quais, transformados em cascata cintilante, faziam, ao cair uns sobre os outros, o ruído do granizo nos vidros. Depois de tocar, apalpar e enterrar as mãos trémulas no ouro e nas pedrarias, Edmond levantou-se e correu novamente através das cavernas com a trémula exaltação de um homem prestes a enlouquecer. Saltou para um rochedo donde podia observar o mar e não viu nada; estava só, bem só, com as suas riquezas  incalculáveis, inauditas, fabulosas, que lhe pertenciam. Mas sonhava ou estava acordado? Vivia um sonho fugaz ou abraçava firmemente uma realidade?"


Quer indicar um livro ou filme? Participe de O Leitor Recomenda AQUI!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Novidade no blog: O Leitor Recomenda

Olá pessoal! O Hellen's Stuffs está com novidades... Inspirada no "Indique-me um livro" do blog da minha amiga Carolina do blog Cantinho da Carolina, resolvi abrir um espaço para que façam suas indicações. Aqui estão liberadas recomendações de livros e filmes.
Todos temos livros e filmes favoritos, aqueles que nunca esquecemos e que de alguma forma marcaram algum momento de nossa vida. Neste espaço você pode fazer a sua recomendação de livros e filmes, e ainda tem uma chance de divulgar seu próprio blog ou site. É muito fácil... basta preencher corretamente o formulário abaixo e aguardar a minha moderação.
Lembrando que apenas serão publicadas as recomendações escritas corretamente, que tenham consistência e conteúdo.

Fiquem a vontade para indicar muitas e muitas vezes! 

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Drácula - Bram Stoker

Título original: Dracula
Autor: Bram Stoker
Editora: Martin Claret
ISBN: 85723255700
Páginas: 438


“Denn die Todten reiten schnell”
(“Pois a morte viaja depressa”)


Conhecida por muitas pessoas a história do Conde Drácula foi retratada em diversos filmes, entretanto, são poucos os que leram o original de Bram Stoker. Fato pouco conhecido também é que o escritor inspirou-se em Vlad Dracul, ou Vlad III "O empalador", para desenvolver o personagem que ficaria conhecido em todo o mundo.
Vlad Dracul era príncipe da Valáquia (Bucareste, Romênia), e ficou conhecido pela luta contra os turcos para impedir a expansão do Islamismo. Até hoje é considerado pelos romenos como um herói, e lembrado por seus atos cruéis na guerra. O escritor irlandês Bram Stoker, inspirado nas lendas acerca da imortalidade de Vlad, criou o Conde Drácula.
O livro é narrado através de diários e cartas dos personagens. Jonathan Harker, Mina Harker, Dr. Seward e professor Van Helsing são as figuras principais da história. Tudo começa com a narrativa de Johathan Harker, um corretor de imóveis londrino que é enviado a Transilvânia para atender um cliente interessado em adquirir uma casa em Londres. Acontecimentos incomuns, entretanto, passam a apavorar o jovem que começa a suspeitar do velho Conde Drácula.

"Meia-noite — Tive uma longa conversa com o Conde. Fiz-lhe algumas perguntas sobre a história da Transilvânia e ele se entusiasmou com o assunto. Ao falar dos acontecimentos, especialmente das batalhas, parece que os presenciou. Explicou-me depois que tem tanto orgulho com sua casa como consigo próprio. Quando se refere à sua casa, diz sempre “nós”, e fala no plural, como um rei.     Nós os zequelis — disse ele — temos o direito de nos sentirmos orgulhosos, pois, em nossas veias corre o sangue de muitas raças valentes que travaram lutas leoninas para a conquista. Aqui, neste cadinho de raças européias, a tribo de Ugrie trouxe da Islândia o espírito belicoso que lhe deram Thor e Wodin e seus homens se lançaram com tal afã nas praias da Europa e também da África e da Ásia, que os povos pensavam que tinham aparecido os próprios lobisomens. Também para aqui vieram e se encontraram com os hunos, cuja fúria guerreira varrera a terra como uma fogueira, até que os povos moribundos afirmassem ter nas veias o sangue daquelas velhas feiticeiras que, expulsas da Cítia, cruzavam-se com os demônios no deserto. Idiotas! Que demônio ou bruxo foi tão grande quanto Átila, cujo sangue corre em nossas veias?" - Página 19

Percebendo que se encontra preso no castelo de um monstro, Harker foge. De volta a Londres descobre, com pavor, que o nobre Drácula está na cidade com o propósito sinistro de domina-la. Reunindo-se com um grupo de amigos que acreditam no perigo iminente que correm nas mãos de tal criatura, entre eles o médico psiquiatra Dr. John Seward e o estudioso homem de meia idade professor Van Helsing, Jonathan corre contra o tempo para salvar sua amada Mina Harker da malévola dominação do Conde Drácula.

"O luar estava tão claro que mesmo através da cortina da janela iluminava bastante o interior. No leito, junto da janela, Jonathan Harker dormia profundamente, como que narcotizado. Ajoelhada na beira do leito, estava o vulto branco de sua esposa. Ao seu lado, estava de pé um homem alto e magro, vestido de preto. Tinha o rosto virado para o outro lado, mas reconhecemos imediatamente o Conde, até pela cicatriz da testa. Com a mão esquerda, segurava as duas mãos da Sra. Harker e, com a direita, a segurava pela nuca. A camisola de dormir da Sra. Harker estava manchada com sangue, que escorria, também, pelo queixo do Conde e no seu peito." - Página 109

Este livro é um clássico da literatura estrangeira que merece, sem dúvida, ser lido. Curto e de fácil compreensão, prende a atenção do leitor devido a enorme quantidade de suspense e horror. Aos amantes do cinema que se interessarem pela história indico dois filmes, Dark Prince (2000), que conta a história de Vlad Dracul; e Drácula de Bram Stoker (1992), filme do diretor Francis Ford Coppola, que conta com a atuação de bons atores, entre ele, Winona Ryder e Anthony Hopkins.
Minha Avaliação: ♦♦♦♦♦ (Bom)

Faça o download do livro AQUI!
Leia o livro online AQUI!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Eu sou o mensageiro - Markus Zusak

Título Original: The Messenger
Autor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Tradução: Antônio E. de Moura Filho
ISBN: 978-85-98078-29-8
Páginas: 318
Ed Kennedy. Dezenove anos. Um perdedor.

Seu emprego: taxista. Sua filiação: um pai morto pela birita e uma mãe amarga, ranzinza. Sua companhia constante: um cachorro fedorento e um punhado de amigos fracassados.
Sua missão: algo de muito importante, com o potencial de mudar algumas vidas. Por que? Determinado por quem? Isso nem ele sabe.




Markus Zusak, autor do best-seller A menina que Roubava Livros, nos fornece essas respostas nem aos poucos neste incomum romance de suspense, escrito antes do seu maior sucesso. O que se sabe é que Ed, um dia, teve a coragem de impedir um assalto a banco. E que, um pouco depois disso, começou a receber cartas anônimas. O conteúdo: invariavelmente, uma carta de baralho, um ou mais endereços e... só. Fazer o que nesses lugares? Procurar quem? Isso ele só saberá se for. Se tentar descobrir. E, com o misto de destemor e resignação dos mais clássicos anti-heróis, daqueles que sabem não ter mesmo nada a perder nesse mundo, é o que ele faz.
Ed conhecerá novas pessoas nessa jornada. Conhecerá melhor algumas pessoas nem tão novas assim. Mas, acima de tudo, a sua missão é de autoconhecimento. Ao final dela, ele entenderá melhor seu potencial no mundo e em que consiste ser mensageiro.

Em uma palavra: incomum. Eu sou o mensageiro é o tipo de livro impossível de querer explicar. É uma história única e especial, do tipo que acaba mexendo com os sentimentos e certezas do leitor. Ed Kennedy é um típico jovem sem perspectivas, desprezado pela própria mãe, apaixonado pela melhor amiga, que não que nada com ele, e sem sonhos concretos para o futuro. A vida de Ed sofre uma reviravolta quando ele ajuda a prender um assaltante de banco. A partir desse dia ele passa a receber cartas de baralho, mais especificamente ases, com enigmas a resolver. Ele parte, as cegas, em uma missão cujo propósito ele não compreende, a mando de alguém que ele nem mesmo sabe quem é.

"Vou te contar um pouco sobre minha vida. Toda semana, pelo menos em algumas noites, eu jogo cartas. E o que fazemos. Jogamos um lance chamado Porre, que não tem nada de difícil e é o único jogo que a gente curte sem cair no bate-boca toda hora. Tem o Marv, que nunca fecha a matraca, que fica lá sentado, tentando fumar charutos e curtir ao mesmo tempo. Tem o Ritchie, que fica sempre na dele, exibindo uma tatuagem supertosca no braço direito. Ele tira um gole de sua VB long-neck do início ao fim e toca no bigodinho, que parece até que foi colado fio por fio naquela cara de moleque. Tem a Audrey. Audrey sempre se senta de cara pra mim, bem na minha frente, não interessa o jogo. Ela tem cabelo amarelo, pernas finas, o sorrisinho torto mais lindo do mundo, quadris enlouquecedores e se amarra em ver filmes. Ela também trabalha como taxista. Daí vem eu. Antes até de começar a entrar em detalhes sobre mim, acho melhor ir contando alguns outros fatos: 1. Quando tinha 19 anos, Bob Dylan já era veterano da noite do Greenwich Village, em Nova York. 2. Salvador Dalí já tinha pintado uma porrada de quadros sensacionais e se rebelado quando fez 19 anos. 3. Joana D'Arc era a mulher mais procurada e caçada no mundo quando tinha 19 anos, tendo criado uma revolução.
Daí vem Ed Kennedy, também com 19 anos de idade... Um pouco antes do assalto lá no banco, eu já estava fazendo um balanço geral de minha vida. Taxista — pra conseguir este emprego, tive que mentir na idade. (É preciso ter no mínimo 20 anos.) Não segue carreira nenhuma. Não tem o menor respeito na comunidade. Porra nenhuma. Percebi que tinha uma porrada de gente em tudo quanto é canto realizando coisas bacanas enquanto eu recebia ordens dos Dereks da vida, uns executivos praticamente carecas, sem contar que ainda tinha que ficar de olho prós pés-de-cana que eu pegava às sextas-feiras à noite não vomitarem no meu táxi ou não me darem o cano, saindo sem pagar a corrida. Na verdade foi a Audrey quem teve essa idéia de tentar dirigir táxi. Não precisou muito pra me convencer, ainda mais porque eu estava de quatro por ela fazia um tempão. Eu nunca saí desse subúrbio. Faculdade nunca foi minha praia. Minha praia era Audrey. Eu estou sempre me perguntando; "E aí, Ed, o que você fez de útil nesses 19 anos de vida?" A resposta é simples: Porra nenhuma." página 22


O livro é escrito em primeira pessoa, em uma linguagem oralizada, de maneira leve e divertida que acaba prendendo a atenção do leitor. É como participar de um diálogo, em que as emoções causadas pela leitura fluem como respostas. No decorrer da leitura a curiosidade vai aumentando, a vontade de entender "o que está acontecendo afinal de contas" prende completamente a atenção. Além disso o final é inesperado e impressionante. Este é o primeiro livro que leio de Markus Zusak, e com certeza não será o último, pois o escritor demonstrou ser portador de criatividade e sensibilidade imensa. Para quem não leu, fica então a dica!  Leitura recomendada!
Minha Avaliação: ♦♦♦♦♦ (Ótimo)



O Autor:

Markus Zusak
Nasceu em Sydney, em 1975, filho de pai austríaco e mãe alemã. Vive até hoje na cidade. Tem cinco livros publicados, dos quais Eu sou o mensageiro é o terceiro. Publicou seu primeiro romance, The Underdog, em 1999, e o segundo, Getting the Girl, em 2001. Seus trabalhos mais recentes são Fighting Ruben Wolfe e o grande sucesso internacional A menina que Roubava Livros.



Faça o Download do livro AQUI!

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

A Bicicleta Azul 3- O Sorriso do Diabo - Régine Deforges

Título Original: Le Di’able S’em Rit Encore
Autora: Régine Deforges
Editora: Editora Best Seller
Edição: 7º edição
Tradução: Ligia Guterres
ISBN: 85-85091-15-0
Páginas: 378
"... Eis que o tempo faz a sua obra - as lágrimas secarão, o ódio se extinguirá, os túmulos desaparecerão. A França, porém, continuará a existir". 
- Charles de Gaulle (Memórias de Guerra - "A Salvação")

"Wo wir sind, da ist immer vorn
Und der Teufel der lacht nur dazu.
Ha, Ha, Ha, Ha, Ha, Ha, Ha!"

"Onde estamos é sempre na vanguarda
E é aí que o Diabo ainda ri.
Ha, Ha, Ha, Ha, Ha, Ha, Ha!"

Em 1944, já não há dúvidas quanto ai desfecho da Segunda Guerra Mundial. Cada qual escolheu seu campo. Chegou a hora das matanças, dos ajustes de contas, dos últimos e decisivos confrontos militares.
A jovem Léa Delmas, que conheceu o horror em todas as formas, que descobriu o ódio e se temperou na coragem, agora está amadurecida. Tendo se envolvido nas lutas da Resistência francesa até o limite de suas forças, quer continuar ativa até o fim. O caminho que escolheu a leva desde Montillac em chamas até Berlim em ruínas, passando por Paris já em clima de festa, mas ainda não livre de perigos. 
Durante os últimos dois anos do conflito, é desses riscos que a corajosa Léa tira uma razão para viver. E, terminado o pesadelo em 1945, a vida de Léa irá finalmente culminar no amor.

Terceiro volume da série Bicicleta Azul da escritora francesa Régine Deforges, O Sorriso do Diabo é um livro forte e arrebatador. Depois de conhecer Léa, a heroína corajosa e fora dos padrões, bem como os demais personagens, igualmente marcantes, a história chega à um ponto crucial. 
É 1994, fase final da guerra, e também a mais crítica. Léa e Camille envolvem-se de uma vez com a Resistência Francesa, tornando-se fugitivas. As duas mulhers e o pequeno Charles, filho de Camille e Laurent. abrigam-se no interior da França, sem receber notícias de suas famílias. Enquanto isso a guerra se alastra e martiriza a todos. O padre Adrian Delmas perde sua fé completamente e toma uma decisão que muda sua vida de uma vez por todas, decide matar, com suas próprias mãos, o colaboracionista Maurice Fiaux.
Após diversas reviravoltas, como a destruição de Montillac, Léa retorna a Paris. De volta à rua da Universidade, no apartamento de suas tias Lisa e Albertine, ela acaba adoecendo devido as pressões da guerra. 

"Léa sentiu no seu próprio crânio o frio do metal da máquina de tosquiar. Perto dela, algumas mulheres ficaram silenciosas.Uma delas enxugou uma lágrima, talvez solidária, enfim, com aquela criatura humilhada, ridícula, com sua cabecinha emergindo do vestido de flores e o cartaz pendente do pescoço onde uma mão desajeitada escrevera: PUTA QUE VENDEU O MARIDO.
Dois homens levantaram a mulher e a empurraram para junto das outras já tosquiadas, que se ajeitaram no banco, dando-lhe lugar. Sentou-se ao lado de uma mãe que embalava o filho.
Avidamente, Léa olhou para o grupo das que ainda tinham cabelos, à procura de Françoise.
Uma moça alta, elegante e morena, veio substituir a senhora Michaud na cadeira.  - Olhem só, minhas senhoras e meus senhores!... Olhem. Ao vê-la assim tão séria e compenetrada, lhe dariam a comunhão sem confissão. Pois bem, senhoras e senhores. - - é uma porca que preferiu dar o cu aos alemães em vez de a um dos nossos heróis! O que é que isso merece?
- Raaaaaspem-na! Raaaaaspem-na!
Era um jogo, uma farsa, uma comédia, um mistério como os que antigamente se representavam no patamar das catedrais para edificação dos fiéis. Nesses tempos remotos, porém, não se tratava do Mistério das Virgens Loucas e das Virgens Prudentes nem dos jogos do Casamento ou da Folhagem, mas sim do Mistério da Paixão. Não era aquele que se representara em Valenciennes, em 1547, e pelo qual os assistentes pagaram meio soldo ou seis dinheiros, mas sim o quadro da época atual absurda e magnífica, covarde e magnânima corajosa e estúpida, heroica e criminosa, vivida pela França nos primeiros dias da sua libertação." Página 222  

Quando volta si, toma a decisão de se alistar na Cruz Vermelha, com a ajuda de François Tavernier. Após ser admitida como condutora dos feridos, Léa é enviada primeiro ao norte da França, posteriormente a Inglaterra e por último para Berlim, onde se depara com os horrores da Alemanha arrasada, e a triste realidade dos campos de concentração.

"Prados e pinhais estendiam-se a perder de vista, O caminho subia em direção ao campanário pontiagudo que dominava o casario da aldeia de Bergen. As casas eram rodeadas por maciços de flores. Sem os tanques, os caminhões e os soldados estacionados ao longo da estrada, parecia que a guerra se desenrolava bem longe dali.
De repente, depois de uma curva do caminho, numa planície nua, surgiu a visão de um universo de pesadelo,
com as barreiras de arame farpado, torres de vigia e filas de barracões esverdeados.
Criaturas esqueléticas, vestidas com sacos listrados, erravam sobre a areia cinzenta. Alguns dos fantasmas aproximaram-se da cerca para vir ao encontro dos recém-chegados. Estendiam-lhes os braços descarnados e procuravam sorrir, enquanto as lágrimas lhes deslizavam pelos rostos desfeitos. Mas os sorrisos eram de tal
forma horríveis que amendrontavam os soldados. Ficaram imóveis por instantes, como se temessem o que iriam descobrir.
O dr. Hughes mandou distribuir café quente. Depois entraram no campo.
Presos ao arame farpado viam-se cadáveres seminus. Pelo chão, mais cadáveres de homens, de mulheres e de crianças, despidos ou cobertos de farrapos, mísera escória da humanidade.
Lentamente, os ingleses penetravam num mundo além da imaginação, povoado de criaturas que recuavam erguendo um braço diante do rosto, ou que se adiantavam, eretas, transportando com dificuldade o peso do próprio corpo e emitindo um som leve, semelhante ao roçar de milhares de patas de insetos.
Léa caminhava muito ereta, sem conseguir despregar os olhos dos rostos de cores insólitas - bistre, verde, cinzento, ou violeta.
A multidão de mortos-vivos abria alas diante deles. Entraram  por um caminho de ronda, à esquerda, depois à direita. Esmagador e sombrio, todo o horror do campo de concentração se revelava a eles." Página 346 - 347  

Esse livro é melhor que os dois primeiros, mostra os absurdos da guerra de uma maneira tão verdadeira que chega a impressionar. No princípio é bastante cansativo, principalmente na parte em que Léa e Camille estão escondidas com a Resistência. Além disso não é romântico como os outros volumes anteriores, François Tavernier aparece apenas depois da metade do livro.
Apesar disso fica claro o crescimento psicológico dos personagens. Léa deixa de ser uma garota mimada e passional, para se tornar uma mulher empreendedora e sensível ao mesmo tempo, e François Tavernier deixa de ser apenas um conquistador misterioso para se tornar um homem verdadeiramente apaixonado e de caráter muito mais firme.
Aqueles que tiverem paciência e persistirem na leitura se surpreenderão com o brilhante desfecho. É impossível terminar esse livro sem se sentir enredado e preso à história. Leitura Indicada!
Minha Avaliação: ♦♦♦♦♦ (Ótimo)



Outros Livros da Série (Confira as resenhas dos volumes anteriores):

A Bicicleta Azul 3 - O Sorriso do Diabo
A Bicicleta Azul 4 - Tango Negro
A Bicicleta Azul 5 - Rua de Seda
A Bicicleta Azul 6 - A Última Colina
A Bicicleta Azul 7 - Cuba Libre
A Bicicleta Azul 8 - Argel, Cidade Branca

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Música da semana: Enjoy the silence - Depeche Mode


A música dessa semana foi um hit de sucesso nos anos 80, e até hoje ainda é bastante ouvida. Trata-se de Enjoy the silence da banda (New Wave, Synthpop e Alternative dance) Depeche Mode. Grupo formado em 1980 em Essex na Inglaterra.
Inicialmente integrada por David Gahan (vocal), Martin L. Gore (teclado, guitarra, vocal), Andrew Fletcher (teclado) e Vince Clarke (teclado). Em 1981 Clarke saiu e foi substituto por Alan Wilder, que em 1995 também se retirou. A partir de então a banda prosseguiu como um trio.
Depeche Mode continua ativa e é inspiração para várias outras bandas de sucesso atuais.


Letra:

Words like violence
Break the silence
Come crashing in
Into my little world
Painful to me
Pierce right through me
Can't you understand
Oh my little girl
All I ever wanted
All I ever needed
Is here in my arms
Words are very
Unnecessary
They can only do harm
Vows are spoken
To be broken
Feelings are intense
Words are trivial
Pleasures remain
So does the pain
Words are meaningless
And forgettable
All I ever wanted
All I ever needed
Is here in my arms
Words are very
Unnecessary
They can only do harm
Enjoy the silence...


Faça o Download da música AQUI!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

O Discurso do Rei

Título original: (The King's Speech)
Lançamento: 2010 (Inglaterra)
Direção: Tom Hooper
Atores: Colin Firth, Helena Bonham Carter, 
Geoffrey Rush, Michael Gambon.
Duração: 118 min
Gênero: Drama
Dois mundos se uniram para dar à nação uma só voz.


História do rei George VI, pai da atual rainha da Inglaterra, Elizabeth II. Após ver seu irmão Edward (Guy Pearce) abdicar o trono inglês, o jovem George (Colin Firth) se vê obrigado a assumir relutantemente a coroa.
Dono de uma incontrolável gagueira que o impede de discursar para o público, o rei busca a ajuda do terapeuta nada ortodoxo Lionel Logue (Geoffrey Rush). Em meio a tudo isso, precisa juntar forças para comandar o país na Segunda Guerra Mundial.


Bertie era gago desde a infância, e por mais que tentasse não conseguia se curar. Tendo consultado diversos especialistas conceituados, e não obtendo sucesso, ele resiste de buscar ajuda. 
Sua esposa, entretanto, ouve falar de um homem, cujos antecedentes eram positivos, na cura de problemas de dicção. Elizabeth entra em contato com Lionel Logue, um australiano cujos métodos eram considerados pouco convencionais. Ela nunca perdeu as esperanças na cura do marido, e deposita em Logue sua confiança.
Quando inicia o tratamento, Bertie permanece cético, porém quando se depara com uma pequena vitória de Lionel, ele passa aos poucos a confiar nele.
Logue acredita que a gagueira de Bertie está ligada à traumas e pressões de sua infância, e, enquanto aplica exercícios mecânicos, também explora o subconsciente de Bertie. Porém eles não tem muito tempo. Com a morte do rei, um dos príncipes herdeiros deveria assumir o trono inglês.
Edward, irmão mais velho de Bertie torna-se rei, mas permanece por pouco tempo, pois está envolvido com uma mulher divorciada, e pretendendo casar-se com ela, renuncia em favor de Bertie, o Duque de York, que se torna o rei George VI.
O problema de George, contudo, é a falta de autoconfiança, causa real de sua gagueira. Com o início da Segunda Guerra Mundial, George VI terá de enfrentar seus medos e dificuldades para discursar para toda a nação.

Ganhador de quatro Oscar em 2011, incluindo de melhor filme, O Discurso do Rei é um filme belo e bem executado. As atuações foram perfeitas, Collin Firth, Geoffrey Rush e Helena Bonham Carter deram verdadeira alma ao filme.
Li diversas críticas negativas a respeito de O Discurso do Rei, a maioria delas questionando o merecimento do Oscar. É verdade que o filme não é do tipo impressionante, porém a qualidade é indiscutível. Esse é um filme que trata de um tema diversificado, o oposto do que se costuma ver ultimamente, e mais do que isso foi feito com tal zelo, que mesmo não conhecendo Tom Hooper poderia jurar que se trata de um perfeccionista.
Não sobram falhas para apontar, e talvez tamanha perfeição tenha tornado o filme "rigoroso" demais. Essa possível sensação pode ser amenizada pela atuação de Firth, que conseguiu extrair de seu personagem a emoção na medida certa.
O Discurso do Rei não trouxe grandes surpresas, mas a qualidade que lhe valeu o Oscar. Aos que ainda não assistiram, não percam!
Minha Avaliação: ♦♦♦♦ (Ótimo)

Faça o download do filme AQUI!

Trailer legendado:






LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...